BLOG

Lixão x Aterro sanitário

Como todo mundo sabe o lugar de lixo é na lixeira, quer dizer, quase tudo mundo, mas será que sabemos mesmo qual é o lugar dele? Quando está todo misturado o lixo é levado para o aterro sanitário ou ainda para lixões, porém temos dois problemas primeiro porque causam graves danos ao meio ambiente e a saúde humana, o segundo é que os aterros sanitários estão cada vez mais lotados e logo não haverá mais espaço mais para tanto lixo, mas a boa notícia é que isso não é lixo, são resíduos, lixo é aquele que não serve mais para nada, os resíduos ainda têm muito valor, só precisam ser separados.

aterro sanitário

Brasil e o Aterro Sanitário

Você sabia que o Brasil é o terceiro país que mais produz resíduos sólidos no mundo? Cada brasileiro gera em torno de 1kg de lixo por dia e para e para tratar este problema foi implantada a política nacional de resíduos sólidos, mas pera aí você sabe o que é o resíduo sólido e que política é essa?

Resíduos sólidos são todos os materiais que resumem nas atividades humanas e que muitas das vezes podem ser aproveitados para a reciclagem, pensando nisso o governo pensou na implantação da política nacional de resíduos sólidos que consiste em fazer com que todos os envolvidos governos, empresas e indústrias se responsabilize pelos seus lixos. Você já parou para pensar para aonde vai os resíduos que não servem para serem reaproveitados? No Brasil com o aumento da população as pessoas começam a construir mais coisas e produzirem mais lixo, o lixo que é retirado de nossas casas e que não serve para ser aproveitado vai para ambientes que muitas das vezes não é o lugar certo de ser descartado, ou seja, o lixo coletado é jogado em terrenos que não possui estrutura ou preparo para recebê-lo, este terreno é chamado de lixão mas também existem os aterros sanitários, a implementação desse sistema é diminuir o impacto do lixo no mundo, eles são construídos em grandes extensões de terras e longe dos centros urbanos, primeiramente faz- se um grande buraco que não deve ultrapassar dois metros de distância  do lençol freático e posteriormente coloca-se uma manta de polietileno e uma camada de pedras pequenas por onde passarão os líquidos e gases liberados pelo lixo, além disse são instaladas calhas de concreto e tubo verticais por onde sobem os gases, onde alguns são recolhidos e alguns liberados na atmosfera, é importante ressaltar que os aterros sanitários possuem uma quantidade determinada de lixo que pode ser depositado, após esse tempo o aterro encerra suas atividades naquele local, devido a essa impermeabilização do solo o lençol freático não será contaminado pelo chorume (líquido negro muito perigoso que prove da decomposição da matéria orgânica), também há o aterro controlado que é o local intermediado entre o lixão e o aterro sanitário nele já existe um sistema de captação de chorume e de gases, no entanto, não tão avançado como o aterro sanitário, em resumo apresenta uma alternativa rápida que minimiza os impactos ambientais.

Impactos que o lixão e o aterro sanitário pode causar para o Meio Ambiente

As pessoas que vivem próximas a esses locais estão expostas a um enorme número de doenças como a leptospirose e a peste bubônica, além disso, há contaminação das pessoas que entram em contato com esses detritos, por isso o lixo produzido pelo consumidor é coletado pelo poder público que deve se zelar pela separação correta para reaproveitamento pelos catadores e pela indústria, a parte orgânica do lixo cheira mal, atrai insetos e outros animais, mas tem o seu valor econômico, nas usinas de compostagem ela pode ser transformada em adubo para lavouras, o lixo que sobra depois do reuso e da reciclagem pode ser queimado em usinas para geração de eletricidade depois de todo esse processo ainda restam 10% dos lixos em formas de cinzas, elas podem, serem usadas nas pavimentações das ruas, os rejeitos que não podem ser aproveitados devem ser mandados para aterros sanitários, esse lixo libera gás metano que também pode ser usado para produzir energia elétrica.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin